Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Publicidade RML

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
   
Capa
Entrevistas
Equipe
Mural
News
Contato
Reviews
CD's
DVD's
Demos
Magazines
Shows
Multimídia
Fotos
Links
Bandas
Zines
Gravadoras
Rádios
Diversos

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
Untitled Document
 
 

Versão para impressão .

Enviar por e-mail .

Receber newsletter .

Versão PDF  .

Relatar Erro [erro]

 

Entrevistas

ALTERA O
TAMANHO DA LETRA
 

Recife Metal Law - O seu portal de informação!

 

MALKUTH



O Malkuth é uma verdade entidade do Black Metal nordestino, afinal não é uma banda desse estilo e com tantas mudanças de formação que permaneça ativa, firme e forte durante 25 anos (completados) ano passado (2018). Também ano passado a banda lançou o seu sétimo álbum de estúdio, “Voodoo”, o qual já vem angariando boas resenhas nas mídias especializadas. Novamente tive a oportunidade de realizar uma entrevista com Sir Ashtaroth, membro-fundador do Malkuth, onde nessa entrevista falou não apenas nesse álbum. Além de Sir Ashtaroth, a atual formação do Malkuth conta com Destroyer (bateria), Ghoul (baixo) e Rangda Daeva (guitarra).


Recife Metal Law - Quero dar início a essa entrevista falando sobre o trabalho anterior “Strongest”, lançado em 2011. Como foi todo o processo de divulgação, seja na distribuição física do álbum, digital e shows?
Sir Ashtaroth -
Necro saudações mais uma vez! O álbum “Strongest” foi lançado e distribuído fisicamente por uma parceria entre a Impaled Records e a Obskure Chaos Distro (ambas de São Paulo) e a Nefando Produções (Pernambuco). O lançamento nas plataformas digitais mundiais ficou a cargo da Sangue Frio Produções (Paraná). Tanto a divulgação e a distribuição foram bastante satisfatórias. Fizemos shows de divulgação em Pernambuco, nossa terra natal, em alguns estados do Nordeste e em São Paulo no decorrer dos anos seguintes.

Recife Metal Law - Como sempre, mesmo com a banda divulgando o disco, houve mudanças em sua formação, algo já rotineiro no Malkuth. Isso não mais parece importunar você, único membro original da banda, mas, sim, moldar o som da banda a cada lançamento. Estou certo?
Sir Ashtaroth -
Sim, estás certo! Estão no Malkuth quem têm compromisso e honra com a nossa causa. Enquanto apoiar a ideologia contida em nossa música e se dedicar com afinco, resistir aos inimigos e aos obstáculos típicos da nossa estrada é um membro malkuthiano! Sempre firmes na guerra contra o cristianismo hipócrita e suas fraquezas!

Recife Metal Law - O novo álbum, “Voodoo”, foi antecedido pelo single “Anticristum (Bellicus)”, uma pequena amostra do poderio do novo trabalho, e do EP “Shoot to Kill (je$u$)”, lançado apenas em formato digital. Qual a razão para que essa faixa fosse a escolhida para ser a música de trabalho?
Sir Ashtaroth -
Foi uma escolha em comum acordo entre os membros na ocasião e é uma faixa bastante forte que traduz bem, como dissestes, o poderio do que estaria por vir!

Recife Metal Law - Caso não me falhe a memória, durante a gravação do novo álbum a banda sofreu alterações em sua formação. Esse foi um dos motivos para se lançar o EP, tendo em vista que novas alterações iriam atrasar as gravações?
Sir Ashtaroth -
As mudanças de formação se deram após as gravações do novo álbum, não durante. O EP digital “Shoot to Kill (je$us)” possui três faixas do álbum “Voodoo”, posteriormente lançado fisicamente pela Obskure Chaos Distro, nosso selo parceiro de alguns anos de estrada.

Recife Metal Law - “Voodoo” traz nove músicas, e percebi um Malkuth mais violento, mais direto, porém, para quem conhece a banda e os seus discos já lançados, notará que é a mesma banda, mesmo que não se repita. A criação musical do álbum teve esse cuidado: de não se repetir, porém de mostrar que se trata do mesmo Malkuth?
Sir Ashtaroth -
Foi um processo natural de composição lírica e musical de 2011 até 2018, ano de seu lançamento. Com as mudanças de formação as músicas desse novo álbum foram sofrendo moldes de acordo até atingir a sua plena maturidade para o oportuno lançamento. O Malkuth sempre procurará evoluir musical e liricamente falando, mas jamais perderá a sua essência negra, oculta, pagã e mística.

Recife Metal Law - Os últimos lançamentos da banda vêm trazendo sempre uma música em português. Isso é uma mera coincidência ou o Malkuth, em todos os seus próximos lançamentos, sempre trará alguma música em nossa língua pátria?
Sir Ashtaroth -
Sempre homenageamos a nossa língua máter com uma faixa em português em cada álbum nosso! Só não sei se o padrão permanecerá para os próximos álbuns, vamos aguardar para ver.
 
Recife Metal Law - Além da música em português, a banda novamente lançou mão de instrumentos como o djembe, percussão e guitarras acústicas, e isso acrescenta peculiaridade no som da banda, sem soar forçado. Como vocês trabalham a inserção de tais instrumentos na musicalidade do Malkuth?
Sir Ashtaroth -
Sim, tais instrumentos citados foram e sempre serão explorados pelo Malkuth por permitirem criar uma atmosfera mística e sombria, características típicas da nossa sonoridade desde longos ciclos da nossa existência terrena. Para tal proposta, criamos tais passagens com muita inspiração e simplesmente as encaixamos em alguns trechos de nossas músicas em estúdio.

Recife Metal Law - O encarte, além de apresentar as letras - bem agressivas, por sinal - traz imagens bem fortes e de puro ataque ao cristianismo. Num Brasil conservador, de “deus acima de todos”, inclusive de muitos “headbangers”, como vem sendo a receptividade para tais imagens?
Sir Ashtaroth -
Muito gratos pela sua excelente observação referente ao encarte do álbum “Voodoo”. Até o momento teve uma ótima receptividade por parte do nosso público-alvo. Não sofremos, por enquanto, nenhuma contestação específica quanto a isto aqui no Brasil. Porém, vale salientar que nas plataformas digitais do Oriente Médio o nosso EP digital “Shoot to Kill (je$us)” sofreu censura por ter a capa e conteúdo blasfêmicos e por atacar à religiosidade local, lamentável... Por outro lado, já sofri ataques textuais de um covarde cri$tão na internet que já foi do meio Underground (ou nunca o foi - risos). Mas, este relevo, por ser um ínfimo ser frustrado e com problemas psicológicos tentando se destacar forçosamente no cenário nos alvejando com as suas loucuras eunucas.

Recife Metal Law - A arte da capa nos remete a rituais de vodu (numa clara referência ao título do disco) e, assim, nos remete, também, a rituais de magia negra, canibalismo... A arte foi apresentada em preto e branco e o desenho chega a parecer que foi feito à mão. Como foi desenvolvida toda a arte da capa?
Sir Ashtaroth -
Foi uma ideia minha em conjunto com o nosso artista gráfico Wagner Demonart de São Paulo. Além de tatuador e artista profissional, excelente músico e guitarrista das bandas Wodanaz e Labor Oculto. Ele pintou esta arte concebida em um bandeirão negro com tinta branca (com o qual nos apresentaremos ao vivo em breve) e a fotografou, assim o utilizamos também como capa oficial do nosso álbum “Voodoo”.

Recife Metal Law - O Heavy Metal (e suas derivações) encontrou, ao passar dos anos, bons estúdios em todo o país, e uma amostra disso é a gravação de “Voodoo”, num ótimo patamar, e feita aqui mesmo em Pernambuco, mais precisamente no J.A. Studio, sob a responsabilidade de Joel Lima. O resultado final era o que vocês procuravam, em termos sonoros?
Sir Ashtaroth -
Sim, com certeza! Satisfação total! O Joel Lima é um excelente técnico e produtor local, além de ter um ouvido bastante apurado para a música em geral e possuir equipamentos tecnológicos de alta qualidade, sempre renovando seu estúdio a cada ano que se passa. É um investidor sonoro no campo da música.

Recife Metal Law - O novo álbum ainda não teve um show de lançamento, haja vista que dois eventos onde a banda tocaria foram cancelados. O primeiro foi o “Olinda Extreme Music” e o mais recente foi o show do Krisiun que ocorreria em Recife. Há planos para um show de lançamento desse novo álbum?
Sir Ashtaroth -
Infelizmente os shows que citastes foram cancelados por motivos de força maior, essas coisas acontecem... Para 2019 estamos planejando/negociando alguns shows de lançamento locais e fora do estado. Aguardem!

Recife Metal Law - Falando sobre planos, o que o Malkuth planeja para 2019?
Sir Ashtaroth -
Planejamos espalhar cada vez mais as nossas blasfêmias em forma de música aqui no Brasil e lá fora, seja como as forças negras ocultas quiserem! E obrigado, mais uma vez, pelo espaço concedido à nossa palavra! Hail!

Site: www.facebook.com/MalkuthOfficial

Entrevista por Valterlir Mendes
Fotos: Divulgação, Mitchell Pedregal

 
 
Busca no site
 
Veja tambm