Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Publicidade RML

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
   
Capa
Entrevistas
Equipe
Mural
News
Contato
Reviews
CD's
DVD's
Demos
Magazines
Shows
Multimídia
Fotos
Links
Bandas
Zines
Gravadoras
Rádios
Diversos

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
Untitled Document
 
 

Versão para impressão .

Enviar por e-mail .

Receber newsletter .

Versão PDF  .

Relatar Erro [erro]

 

Reviews Cds's

ALTERA O
TAMANHO DA LETRA
 

Recife Metal Law - O seu portal de informação!

 

SPARTACUS - Imperivm Legis


SPARTACUS
“Imperivm Legis”
Hurricane Records – Nac.

11 anos separam o lançamento de “Imperivm Legis” do ‘debut’ “Libertae”. Pequenas diferenças são ouvidas ou vistas, afinal mais de uma década separam os lançamentos. Uma delas é a troca de bateristas, já que atualmente quem segura as baquetas é Guilherme Oliveira. E, diga-se, cumpre com maestria seu papel, mostrando bases firmes, bem encaixadas e sem rebuscamentos desnecessários. Afinal, é isso que a música do Spartacus pede. Não por ser música simples, longe disso, afinal, a começar pela parte lírica, sempre muito bem escrita, desde o primeiro álbum, as composições da banda é algo bem feito, com alguma complexidade em algumas passagens, mas sem recorrer a um instrumental intricado em demasia. Na verdade, o que escutamos nesse álbum é um Heavy Metal tradicional, totalmente cantado em português, por vezes soando épico, como no caso de “Nas Trevas da Insanidade”, mais pelos seus pouco mais de sete minutos de duração do que por qualquer outra coisa. Os vocais de Marco Canto, como seu sobrenome já diz, traz um vocal limpo, simplesmente cantado, bem postados, sem exageros, sem esforço, tudo soando natural e encaixando bem com a parte instrumental apresentada. Victor Petroscki é o responsável pelas guitarras, teclados, backing vocals e alguns arranjos orquestrais sintetizados, esses últimos usado em doses homeopáticas. Os riffs de guitarra seguem a linha tradicional, eficientes. Já os teclados também são usados de forma a adicionar certo clima, em certas passagens, nada mais que isso. Marco Di Martino, além de ser o responsável por todas as letras, ser o fundador da banda, também mostra toda a sua habilidade nas cordas graves. Como grandes exemplos disso cito “Não Morra o Sentimento” e “Nas Trevas da Insanidade”, com o baixo pulsando durante toda a execução das músicas. A gravação, feita no Estúdio Hurricane, só veio a engradecer esse trabalho, deixando todo o instrumental bem timbrado, bem perceptível, como merece a música do Spartacus. A parte gráfica é de alto nível, com a capa ilustrando bem o nome da banda e o título do álbum. E o encarte não se ateve apenas às letras, fotos ou informações básicas, mas trazendo tudo que envolve esse lançamento, de como surgiu, sobre a temática, entre outros tópicos. Enfim, é um disco que é indicado não para quem curte Heavy Metal cantado em português, mas para todos aqueles que curtem música de extrema qualidade com letras idem.

Site: www.spartacus.mus.br

Resenha por Valterlir Mendes
 
 
Busca no site
 
Veja tambm