Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Publicidade RML

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
   
Capa
Entrevistas
Equipe
Mural
News
Contato
Reviews
CD's
DVD's
Demos
Magazines
Shows
Multimídia
Fotos
Links
Bandas
Zines
Gravadoras
Rádios
Diversos

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
Untitled Document
 
 

Versão para impressão .

Enviar por e-mail .

Receber newsletter .

Versão PDF  .

Relatar Erro [erro]

 

Reviews Cds's

ALTERA O
TAMANHO DA LETRA
 

Recife Metal Law - O seu portal de informação!

 

DARK WITCH - The Circle of Blood


DARK WITCH
“The Circle of Blood”
Arthorium – Nac.


16 anos separam a formação do Dark Witch e o lançamento de seu álbum de estreia, “The Circle of Blood”. Antes dele algumas Demos lançadas e muitas mudanças na formação. À frente da banda, desde o seu início, o vocalista/baixista Bil Martins que, agora, junto com Cesar Antunha e Décio Andolini (guitarras) e André Kreidel (bateria), presenteia o público Headbanger com um disco do mais puro Heavy Metal. Bill já vem fazendo um trabalho excelente nos vocais do Hellish War e, por vezes, algumas linhas – como não poderia deixar de ser – remetem a sua outra banda. Isso pode ser ouvido na maravilhosa “Wild Heart”, um puro Heavy Metal tradicional, que une velocidade e melodias na medida certa. As linhas vocais remetem, até por ambas as bandas trilharem o mesmo estilo musical, mas musicalmente as bandas se diferem. Ou seja, o Dark Witch é mais um representante desse tão amado estilo, que enche de orgulho os Headbangers desde o seu início. Veja bem, “The Circle of Blood” é um álbum com 12 músicas (contando o cover para “Voz da Consciência” do lendário Harppia), com pouco mais de uma hora de duração, mas contendo músicas que soam honestas até o último riff de guitarra. Peso, velocidade, melodias e até mesmo passagens que chegam a lembrar o Thrash Metal, como ouvido no início e em algumas passagens de “Master of Hate”, são a tônica do álbum, além de boa dose de agressividade em algumas partes, sendo “Death Rain” um bom exemplo disso e onde Bil não poupou a garganta. O que importa é que a banda procurou soar honesta o tempo todo, não forçando em nada sua musicalidade, mesmo que sua música remeta o ouvinte aos ícones surgido na década de 80. Na verdade, a produção sonora aumenta essa característica ‘old school’ do disco. Nada de um som cristalino e plástico, pois isso não casa bem com o som proposto pelo Dark Witch. O que temos aqui é uma banda que acertou a mão nos riffs e solos, na ‘cozinha’, por vezes simples e direta, com o baixo de Bill pulsando e dando maior densidade às músicas e uma bateria, a cargo de André Kreidel, que não é mirabolante, mas que deixa a música atrativa o tempo todo. Os vocais, por vezes, inserem partes agudas, que se mesclam a portentosas linhas graves e cantadas, sem apelos ou exageros. Mas não há como não destacar as guitarras da dupla Cesar Antunha e Décio Andolini. Esses caras são monstros! Tocam muito e encarnaram velhos ídolos do instrumento, que tanto fizeram para tornar o Heavy Metal tão adorado como é até hoje. Ouça “Cauldron” e você terá uma ideia do que estou falando. Mas isso é apenas uma música que cito, afinal todas carregam um feeling intenso, a cada acorde emanado. A parte lírica é bem diversificada e aborda temas como ocultismo, superação, história, magia, lutas internas do ser... A parte gráfica é muito bem cuidada e a arte da capa pode ser interpretada de várias formas. Digo uma coisa: o que tenho em mãos é um álbum que transpira Heavy Metal e que, mesmo com sua duração longa, deve ser deixado no aparelho de som, para ser ouvido por várias vezes.

Site: www.facebook.com/darkwitch.heavymetal
E-mail: darkwitchband@gmail.com

Resenha por Valterlir Mendes
 
 
Busca no site
 
Veja tambm