Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Publicidade RML

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
   
Capa
Entrevistas
Equipe
Mural
News
Contato
Reviews
CD's
DVD's
Demos
Magazines
Shows
Multimídia
Fotos
Links
Bandas
Zines
Gravadoras
Rádios
Diversos

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
Untitled Document
 
 

Versão para impressão .

Enviar por e-mail .

Receber newsletter .

Versão PDF  .

Relatar Erro [erro]

 

Reviews Cds's

ALTERA O
TAMANHO DA LETRA
 

Recife Metal Law - O seu portal de informação!

 

QUILOMBO - Itankale


QUILOMBO
“Itankale”
Poluição Sonora – Nac.


Quilombo é mais um projeto capitaneado pelo baterista Panda Reis, bem conhecido no meio Underground pelo seu trabalho à frente da banda de Death Metal Oligarquia. Mas o que ouvimos nesse EP de estreia do Quilombo fica bem longe do que o Oligarquia faz. “Itankale” é urgente; é feroz; é rápido; é pesado. Ou seja, é uma mescla explosiva entre o Death Metal e o Grindcore. Soa raivoso, não só nas linhas instrumentais, mas, principalmente, em suas letras, as quais exaltam as raízes negras de Panda. Letras bem construídas e fazendo uma homenagem - sempre justa - aos negros, que por anos e anos lutam por sua liberdade. Além dessa justa homenagem, a temática lírica não deixa de atacar o capitalismo e a exploração europeia (vide “Treze Nações”). Voltando a falar sobre a parte instrumental, o que ouvimos nesse EP é uma verdadeira devastação sonora, mas, claro, não é apenas veloz, já que algumas músicas vêm com uma levada mais cadenciada e pesada. Panda, além da bateria, também ficou responsável pelos vocais, os quais seguem uma linha raivosa, por vezes gritadas. Já a guitarra e o baixo ficaram sob responsabilidade de seu companheiro de Oligarquia, Allan Kallid, o qual também não apresentou qualquer pudor nas linhas feitas. Além do uso dos instrumentos tradicionais para o estilo, podemos ouvir o uso de atabaques e agogô, esses a cargo de Binho Gerônimo e até mesmo berimbau. O estilo praticado nesse EP pede essa urgência e raiva e foi isso que os músicos nos apresentaram. São seis músicas espalhadas em menos de 20 minutos, sendo que as duas primeiras - “Melanina” (com uma parte mais pesada do que rápida) e “Ancestralidade” (com um Blues de música incidental) - são as maiores, em termos de duração. A arte da capa, como não poderia deixar de ser, homenageia algumas personalidades negras. O encarte é simples, apresentado em envelope, trazendo uma página em separado com as letras. Gravação no nível que o estilo pede, bem feita e bem dosada.

Site: www.facebook.com/Quilombometal

Resenha por Valterlir Mendes
 
 
Busca no site
 
Veja tambm